A manutenção dos Classificadores, segundo as Normas de Serviço da Corregedoria Geral da Justiça, é obrigatória (Capítulo XIII, Seção III, Subseção II, Dos Classificadores Obrigatórios, item 65, letras “a”, “b” e “c”) e seu arquivamento eletrônico passou a ser reconhecido após as inovações aprovadas pelo Provimento CG nº 39, de 14 de dezembro de 2012 (Capítulo XIII, Seção III, Subseção II, Dos Classificadores Obrigatórios, item 65.1).

Desde a publicação do mencionado Provimento CG nº 39, de 14 de dezembro de 2012, os Classificadores INR SP têm passado por uma série de mudanças, a fim de proporcionar aos Assinantes das Publicações INR uma experiência dinâmica e compatível com as exigências da Corregedoria Geral da Justiça. Com novos recursos e ferramentas, os Classificadores INR SP, cem por cento eletrônicos, levaram ao cotidiano de Notários e Registradores agilidade, facilidade e segurança.

Assim, a começar de janeiro de 2013, além da divulgação por meio das edições diárias do Classificadores INR SP, estas passaram a ser substituídas, semanalmente, por versões atualizadas e com conteúdo acumulado desde o primeiro dia de publicações do ano vigente, até o final de cada exercício. São os chamados Classificadores Eletrônicos Acumulados, que possuem índice próprio, por assunto e com menção ao número do ato e à comarca de origem.

Essa nova sistemática de disponibilização dos Classificadores INR SP trouxe inúmeras vantagens aos Assinantes das Publicações INR. Entre elas estão:

  • economia de espaço: todo o conteúdo pode ser armazenado no computador pessoal do Assinante e ou, ainda, em um servidor. Após o armazenamento inexiste a necessidade de conexão com a internet para a leitura dos arquivos;
  • acesso simultâneo ao Assinante e seus prepostos: o novo sistema traz rapidez e segurança no compartilhamento das informações, na medida em que mais de um usuário pode acessar o mesmo conteúdo ao mesmo tempo, por meio de diferentes dispositivos;
  • durabilidade: arquivos digitais, devidamente armazenados e resguardados por meio de cópia de segurança, podem durar a vida toda; e
  • facilidade de busca: documentos digitalizados podem ser encontrados por meio de busca por palavras-chave, categorias e pastas. Além disso, dentro do próprio arquivo eletrônico há a possibilidade de se buscar informações por expressões (numéricas e ou textuais).

Após minuciosa garimpagem no DJe - Diário da Justiça eletrônico do Estado de São Paulo, os atos de interesse das atividades notariais e de registro são levados ao Classificador correspondente e enviados aos Notários e Registradores paulistas diariamente.

São 5 (cinco) os Classificadores encaminhados cotidianamente ao Assinante das Publicações INR, a saber:

  • Classificador I: Atos Administrativos e Decisões do Colendo Conselho Superior da Magistratura do Estado de São Paulo (inclusive com a íntegtra dos acórdãos do CSM/SP);
  • Classificador II: Atos Administrativos e Decisões da Egrégia Corregedoria Geral da Justiça do Estado de São Paulo;
  • Classificador III: Comunicados da Egrégia Corregedoria Geral da Justiça do Estado de São Paulo;
  • Classificador III – Especial – Escrituras e Procurações: Comunicados da Egrégia Corregedoria Geral da Justiça do Estado de São Paulo; e
  • Classificador IV: Atos Administrativos e Decisões das 1ª e 2ª Varas de Registros Públicos da Capital.

Ressalta-se que os atos contidos nas edições diárias dos Classificadores INR SP também abastecem os Arquivos Eletrônicos - com conteúdo acumulado a partir do primeiro dia útil forense do ano -, atualizados semanalmente. Além disso, os atos selecionados são inseridos na Base de Dados INR no mesmo dia de sua divulgação oficial.

Base de Dados INR dispõe de moderna ferramenta de busca, permitindo ao usuário pesquisas sempre muito rápidas e certeiras.

Encontra-se também disponível no portal das Publicações INR (www.inrpublicacoes.com.br), no endereço https://inrpublicacoes.com.br/site/boletim/atos-anteriores, os Classificadores INR SP acumulados desde 1999.